PsiWorks

Pedopsiquiatria em Lisboa

         A Psiquiatria da Infância e Adolescência, ou Pedopsiquiatria, é uma especialidade médica que se dedica à prevenção, diagnóstico e intervenção de perturbações emocionais e comportamentais de crianças e adolescentes tendo como principal objectivo a promoção de um desenvolvimento psicoafectivo adequado.

          A Psiquiatria da infância e adolescência é uma especialidade exercida por médicos que se especializam no diagnóstico e, se indicado, tratamento de perturbações do pensamento, humor e/ou comportamento que afectam crianças, adolescentes e suas famílias.

         O pedopsiquiatra usa conhecimentos de evidências biológicas, psicológicas e sociais no trabalho com o utente/cliente. Inicialmente, um exame diagnóstico é realizado para avaliar o problema actual, com especial atenção para componentes físicos, genéticos, de desenvolvimento, emocionais, cognitivos, educacionais, familiares e sociais.

     Na Pedopsiquiatria, ou psiquiatria da infância e adolescência, os médicos especialistas – ou pedopsiquiatras – trabalham com crianças e jovens (convencionalmente até à idade de menos de 18 anos) e com as suas famílias.

        Estes especialistas tratam duma série de problemas e condições de saúde mental, que vão desde as perturbações do espectro do autismo, depressão, ansiedade, ao uso indevido de substâncias e perturbações alimentares.

        75% dos problemas de saúde mental de adultos começaram antes dos 18 anos de idade e existem evidências de que intervenções precoces podem reduzir a probabilidade de perturbações mentais na idade adulta.

          A pedopsiquiatria combina o rigor da ciência e da medicina, com a arte e a criatividade da terapia.

      Existem diferentes abordagens para o tratamento, desde as diferentes abordagens de psicoterapia, passando pela ludoterapia, à terapia familiar.

      A ludoterapia é uma psicoterapia cuja principal ferramenta dessa abordagem é a brincadeira. É através do ato de brincar que se tem acesso ao mundo interior da criança e consegue ajudá-la a superar os desafios que a afligem.

      Frequentemente, existem problemáticas da própria família que interferem com a criança, e o pedopsiquiatra pode recomendar que, a par do tratamento da criança, haja também de forma integrada, um processo de terapia familiar.

        Os medicamentos e/ou a admissão numa unidade de internamento hospitalar podem ocasionalmente acontecer, mas são recursos muito menos usados do que nos serviços de saúde mental para adultos.

        Os principais sinais de que a criança ou o adolescente podem beneficiar duma avaliação por um pedopsiquiatria (psiquiatra da infância e adolescência) são:

 

  • Mudança no padrão habitual de comportamento ou surgimento de comportamentos diferentes do esperado para a idade, por exemplo, uma criança que sempre foi calma e colaborativa e passou a ser irritada e desobediente. Outros exemplos são medos recorrentes, ansiedade e nervosismo, alterações no sono e apetite, choro frequente, manias e rituais estranhos, apego exagerado a um familiar, recusa em frequentar a escola, urinar ou evacuar na roupa/cama.

  • Alterações do sono, como insónia, sonambulismo, aumento da necessidade de sono.

  • Alterações da alimentação, como recusa em comer, alteração do apetite ou selectividade alimentar.

  • Comportamentos como manias estranhas, apego exagerado à rotina, irritabilidade persistente, agitação importante e dificuldade de ficar quieto quando seria esperado, dificuldade de manter atenção.

  • Dificuldade de relacionamento com outros indivíduos da mesma idade ou com adultos, por exemplo, se é muito retraído e fica nervoso quando tem que conversar com os outros, briga muito e fica agressivo, não consegue fazer amigos, prefere ficar sozinho, tem dificuldade de entender regras sociais.

  • Dificuldade de aprender e acompanhar o desempenho escolar dos colegas.

  • Desenvolvimento atrasado em relação ao esperado, por exemplo: atraso no desenvolvimento da fala, ou na aquisição do andar, dificuldade para realizar suas actividades de vida diária sozinho quando isto seria esperado.

  • Comportamento frequentemente agressivo ou dificuldade de controlo emocional, com explosões desproporcionadas.

  • Comportamento de se magoar a si próprio propositadamente (auto-mutilação), discurso frequente sobre morte ou ameaça de se matar ou tentativas de suicídio.

        ​

        Outras situações e comportamentos não aqui citados podem também ser preocupantes e ter consequências sérias para a criança e para a sua família.

       Portanto, na dúvida, procure um psiquiatra da infância e adolescência.

    O pedopsiquiatra fará uma avaliação abrangente e será capaz de confirmar ou descartar a suspeita de que há um transtorno ou problema que precisa ser tratado.


    O trabalho multidisciplinar, incluindo a articulação com outras especialidades médicas, técnicos de saúde mental e estruturas da comunidade, bem como a colaboração próxima com a família e outros cuidadores são essenciais para a avaliação e intervenção.

     O projecto terapêutico individualizado é definido após uma avaliação global e compreensiva da criança e pode incluir consultas individuais e familiares, consultas psicoterapêuticas e psicofarmacologia.

Pedosiquiatria em Lisboa

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

211 929 428    910 646 434

Estrada da Luz, nº 90, 3ºA
Edíficio Atlanta Park I

1600-160
Em Lisboa

Junto à Loja do Cidadão das Laranjeiras

e à estação de metro das Laranjeiras